Mensagens

: Estas férias davam um filme!

Imagem
Parámos quase a chegar a Sines para ajudar um grupo de jovens alemães que tiveram um problema no carro. Perdi a carteira logo no primeiro dia. Devolveram-ma com tudo menos com o dinheiro que, felizmente, era pouco. Li muito. Planeei o novo ano letivo. O meu computador avariou-se e perdi tudo o que tinha escrito. Reaprendi a gostar de estar sozinha. Reforcei o valor que dou aqueles que amo. Fotografei pequenos momentos para recordar sempre. Fizemos imenso vídeos, para que as memórias nunca se desvaneçam. 

Conheci novas praias. Voltei a sítios onde fui feliz. O David partiu um bocado de um dente a caminho de um desses sítios. Comemos uma bola de Berlim na praia. Pusemos várias pessoas a rirem com as brincadeiras do Floki à beira de água. Ele tornou-se mais calmo, mais obediente. Andou a brincar solto na praia numa tarde em que estava vazia. Respirei fundo, afastei os medos de que ele fugisse e brinquei também. Fui à praia mesmo com frio só para sentir a areia nos pés. Estiquei-me na relv…

: O meu grito do Ipiranga.

Imagem
Fotografia presente no meu instagram
Eu sou uma pessoa independente. Talvez por ser filha única. Talvez porque seja mesmo do meu feitio. O certo é que, regra geral, gosto de me desenrascar sozinha. Gosto de fazer o meu caminho. 
Isso só mudava quando dizia respeito a ir a algum sítio sozinha, deixando o David (e agora o cachorro) em casa. Não me sentia bem em fazê-lo porque parecia estar a perder momentos com ele. Tudo mudou nestas férias. O David não é o maior fã de praia e eu sou o oposto: até no inverno gosto de lá ir. Numa das manhãs perguntei-lhe se íamos à praia e ele torceu o nariz. Mas disse-me: "Então, mas vai tu!". E eu fui. Peguei na trouxa e pus os pés ao caminho. Li, fui à beira mar, ouvi as ondas, senti a areia. Senti-me bem. Lembrei-me deles, claro. Preferia tê-los comigo. Mas, ainda assim, aproveitei. Depois dessa seguiram-se mais três manhãs sozinha na praia. Ele descansou, o cão dormiu, eu cresci. Descobri que o mundo não explode se eu os deixar sozinhos. Des…

: Ir de férias com cães? As minhas dicas!

Imagem
Floki pronto para dormir, numa das muitas viagens de carro!
Finalmente tivemos uma semana de férias dignas desse nome! Sair do ambiente habitual e poder fugir à rotina. Foram só cinco dias mas, sem dúvida, os suficientes para relaxar e deixar para trás algumas das preocupações... Inspirada pela viagem trago-vos umas dicas para viajar com os patudos!
Antes de ir
1 - Fazer uma lista com tudo o que será preciso. A maioria das pessoas faz listas quando vai viajar. Seja do que precisa levar na mala ou o planeamento das refeições (eu sou das que faz isso!). Porque não fazer uma lista para nomear tudo o que se precisará para o patudo? Assim conseguimos evitar esquecimentos!
2 - Contabilizar a ração necessária. Não é muito cómodo levar uma saca de ração de 13Kg atrás! Desta vez optámos por comprar uma saca de 2Kg da mesma marca que ele come mas com um sabor diferente, para irmos variando. Mas também ponderámos medir a ração diária e levar tudo numa caixa que comprámos especificamente para isso. O…

: Com sabor a sol e mar.

Imagem
Porto Côvo - Setembro 2016
Vamos hoje em direcção a Porto Côvo para passar uns dias de puro descanso. Antecipo alguns dias de praia, muitos passeios à noite, o regresso a sítios onde já fomos felizes. Desta vez na companhia do nosso amor de quatro patas. Até regressar o blogue ficará em pausa, tal como nós estaremos. 
Até já!

: Brincar não tem género.

Imagem
Eu brinquei muito em criança. Sozinha, com amigos, com primos. Brincava com as mais variadas coisas: desde nenucos até carrinhos. Os meus pais nunca me negaram um brinquedo mesmo que fosse de menino. Sempre tendi para brincadeiras tipicamente categorizadas como de meninas mas também jogava à bola com os rapazes e eles nem se importavam. Nunca me senti pressionada pelos meus pais para escolher um caminho. Fui livre de crescer com diversos gostos, fossem eles quais fossem.
Como Educadora sinto-me na obrigação de ter a mesma atitude perante as crianças: a da liberdade para a escolha. Tenho meninas que preferem brincar na garagem. Como também tenho meninos que gostam de brincar na cozinha. Numa época em que tanto se fala de igualdade de género são estas pequenas atitudes que demonstram que as crianças não nascem formatadas. Não nascem com preconceitos e ideias pré-feitas. E somos nós - adultos em geral - que devemos ter o cuidado de as deixar construir o seu caminho. Elas irão ter as suas …

: Boas recordações.

Imagem
Sempre que podia jogava tetris na consola que pertencia à minha mãe. Já era velhinha e tinha fita-cola na tampa das pilhas mas, ainda assim, eu era apaixonada e conseguia ficar horas a jogar nela. Os tempos mudaram e agora jogo tetris no tablet ou até no telemóvel. Perdeu-se a magia de carregar apressadamente nas teclas e de ver as peças a passarem pelos nossos olhos, a preto e branco. Perdi a magia de jogar, sentada ao lado da minha avó - também ela super apaixonada pelo tetris. Tive uma infância feliz. E esta imagem relembrou-me isso. Está na altura de ir procurar a máquina velhinha e pô-la a funcionar novamente.

: Vida de borboleta.

Imagem
Ninguém dura para sempre, já todos sabemos isso. Nascemos com data de validade e temos apenas que aproveitar a vida para voar o mais longe possível. Para ver o maior número de coisas. Para viver tudo aquilo que o coração pedir. Sabemos que um dia tudo irá acabar e seremos apenas recordações, nas palavras e pensamentos de quem era especial. Perder a minha avó fez-me começar a encarar esse momento da vida como algo natural, pelo qual todos iremos passar um dia. Foi a minha forma de amenizar as saudades. Poucos meses depois o David perdeu o avô. E eu tive a sensação que de que a vida passava sem darmos por ela. Que vivíamos como borboletas - de forma demasiado rápida para aproveitar tudo o que a vida tem de melhor. Esse pensamento solidificou-se em mim assim que fiquei a saber que uma pessoa especial, quase família, estava no hospital. Que tinha tido um AVC. Que nunca mais seria o mesmo. O meu primeiro professor de música  - que me viu crescer durante dez anos - sempre tão independente a…