terça-feira, agosto 11

: Respiro fundo...


...
Inspiro todo este verde que me rodeia. Expiro este silêncio que me acalma.
Respiro.
Deito-me no chão - como se fosse uma criança - e sinto no meu corpo a falta desta terra.
Respiro.
Fecho os olhos e perco-me no cantar dos pássaros que fazem os seus ninhos; no zumbido das abelhas que pousam nas flores; no coaxar das rãs que procuram o fresco do ribeiro.
Sorrio.
Senti falta desta paz, deste silêncio, deste fim do mundo que assusta tanta gente. Senti falta da paisagem pintada de verde. Do calor durante o dia. Do frio durante a noite. Do padeiro que aparece no seu carro logo de manhã e dos sinos da igreja que tocam de meia em meia hora, libertando-nos de qualquer tipo de relógio. Sentia falta deste cheiro a campo, rio e serra. Desta mistura de odores única e impossível de copiar.
Respiro fundo. Absorvo o que me rodeia.
Sorrio.
Tenho o coração cheio. Sou mesmo feliz aqui.

5 comentários:

  1. Porque será que este nosso modo de vida, nos empurra para onde não conseguimos ser felizes?
    Ou então somos nós que só estamos bem, aonde não estamos. :)

    ResponderEliminar
  2. é tão bom sentir-mo-nos cheios e leves. que faças uma coleção de sítios que te fazem feliz.

    ResponderEliminar
  3. owwww *.*

    r: eu não sei em que post comentei aquilo a que respondeste mas acho que foi sobre o teu post ser parecido à "rapariga no comboio", certo? provavelmente, foi porque descreveste bem as coisas e o que vias e os cheiros e assim, tal como acontece no livro :)

    ResponderEliminar

À noite gosto de contar as estrelas que estão no céu e de ver por onde anda a Lua. E tu do que gostas?