quarta-feira, março 30

: Quem eu vejo ao espelho.


É engraçado ver como o avançar dos anos me trouxe uma estabilidade emocional que nunca julguei possível. É quase mágico olhar para trás e ver que todos aqueles complexos que tive anteriormente hoje não me atormentam. Aprendi a gostar de mim pelo que sou, mesmo com todas as imperfeições que nunca me irão abandonar. Passei a ignorar os comentários depreciativos e dei ainda mais valor a quem me ajudou a crescer. Aprendi a respirar fundo e faço yoga mental para manter a minha mente sã. Olho ao espelho e sinto orgulho na mulher em que me tornei. Sorrio e sinto-me bonita mesmo nos dias em que pareço saída do inferno. Sinto-me bonita mesmo que não o seja. Sinto-me bonita mesmo quando me dizem que sou gorda. Sorrio porque me amo. Porque descomplico os meus problemas e me orgulho dos meus defeitos. Não, não os irei corrigir. Fazem parte de mim e foram eles, principalmente, que me trouxeram onde estou hoje. Gosto daquilo que o espelho me retribui e olho-me todas as manhãs de coração cheio. Todo o meu passado vale agora a pena. 

Estou de bem com a vida. Estou de bem comigo. Mesmo continuando a ter os joelhos tortos!

10 comentários:

  1. Deve ser uma sensação tão boa! Espero que seja assim para sempre, espero que isso não mude. Que continues de bem contigo, sempre :)

    ResponderEliminar
  2. O tempo vai-nos amadurecendo e a saber relativizar. O importante é estarmos de bem connosco e sentirmos o apoio de quem gosta de nós como somos e pelo que somos. :)

    ResponderEliminar
  3. Concordo em tudo com este teu texto, também me sinto assim! É bom ser bem resolvida!

    ResponderEliminar
  4. Identifiquei me imenso... Espero que perdure :P

    ResponderEliminar
  5. Gostaria eu de ter essa força mental que transmites no que toca a, pelo menos, mudar alguns pensamentos.
    Nada é mais importante do que gostarmos de nós, com todos os defeitos e/ou qualidades.

    ResponderEliminar
  6. Isso é sinal de crescimento!

    r: É tão triste quando percebemos isso, porque as pessoas revelam um lado delas que é completamente maldoso. Sem dúvida!

    Ainda não o tenho, mas por imagens e por alguns comentários que já vi e ouvi está fantástico *.*

    ResponderEliminar
  7. Como te compreendo e como me revejo. Todos nós temos as nossas inseguranças, que em alguma altura das nossas vidas podem ter dominado os nossos dias e sido o centro das nossas preocupações mas felizmente, o tempo e a idade, as vivências, têm o poder de nos trazer o conhecimento e a sabedoria necessários para darmos valor ao que importa e ao que temos. E é tão bom conseguirmos ver o que há de positivo e aceitarmos as coisas como elas são para estarmos em paz :)
    Beijinhos

    ResponderEliminar
  8. Incrível! Espero que seja sempre assim :)

    ResponderEliminar
  9. R.: Não fumo (pelo menos, por enquanto, não sei como será o futuro), mas acredito que seja assim! Há pessoas, momentos e outras coisas (quase) impossíveis de esquecer!

    ResponderEliminar
  10. Tão positivo ler isto! Tenho a vindo a construir esta espécie de sensatez e tolerância como mesma também, este amor-próprio.

    O amor pode até não ser doença, de facto até ser uma cura, em nenhum dos casos me parece algo fácil, nem de lidar, nem de discernir o que é, algo que nos seja dado simplesmente como é. Talvez precise de descomplicar o amor... ter fé no amor, como se tem em caso de doença, ter alegria, como se tem em caso de cura.

    ResponderEliminar

À noite gosto de contar as estrelas que estão no céu e de ver por onde anda a Lua. E tu do que gostas?