: O dia em que deixei de te conhecer.


O meu maior pesadelo costumava ser perder-te. Acordava, de coração aos saltos, pondo de imediato a mão em cima do teu corpo. Tinha que certificar-me que estavas ali, ao meu lado. Não imaginava a vida sem ti. Mas, quase sem dar conta, tudo mudou. Tu mudaste da noite para o dia e deixei de te reconhecer. O rapaz carinhoso desapareceu e deixou um ser disforme que eu não consigo compreender. Comecei a afastar-me, a aprender a depender só de mim - outra vez. Deixei de ver-te como um companheiro para a vida e passávamos os dias praticamente afastados. Pensei que isso te fosse dar um abanão; Que te fosse fazer perceber que me estavas a perder. Saiu-me tudo ao lado. As conversas tornaram-se monossílabos e deixámos até de olhar um para o outro. Aquele amor que eu julguei ser para sempre morreu. Os dias bons esfumaram-se e só conseguia sentir-me sozinha na casa que, com tanto carinho, tínhamos escolhido anos antes. Olhei para a nossa vida e percebi que não nos resta nada. Somos almas vazias presas a um compromisso que já não nos interessa. Confesso, tenho saudades do tempo em que éramos felizes. Mas agora nada resta desse amor. Está na altura de ir embora. 

#off the records
#histórias de bolso

Comentários

Enviar um comentário

À noite gosto de contar as estrelas que estão no céu e de ver por onde anda a Lua. E tu do que gostas?