sábado, abril 29

: Home Sweet Home #4

Quando era miúda imaginava que um dia conseguiria comprar uma vivenda, ter um espaço enorme e, quem sabe, ter um jardim com uma piscina. Conforme fui crescendo tornei-me mais realista e percebi que com as minhas posses económicas teria que me ficar por um apartamento. Mas só quando comecei efectivamente à procura de um, há dois anos atrás, percebi até que valor poderia ir. Isso limitou imenso a minha escolha. Dentro do valor que tínhamos imposto e dos poucos critérios que tínhamos - tinha que ter um pátio, mesmo que pequeno - acho que conseguimos encontrar a casa ideal para nós. É pequena, para aquilo que eu idealizava na minha adolescência mas perfeita para a jovem adulta que me tornei. Obriga-me a ser organizada, a ser minimalista, a ser metódica. Obriga-me a pensar bem na disposição do mobiliário nas divisões. Ainda há muitas coisas que gostaria de mudar, talvez num futuro próximo. Gostaria, especialmente, de criar zonas de convívio e de partilha para quando tenho visitas ou apenas para partilhar o fim do dia com o David. As mudanças vão ter que ser algumas mas já procuro inspiração nas imagens que se seguem!

quarta-feira, abril 26

: Estou apaixonada...

... pelo conceito que este grupo nos apresenta. Pegam em músicas modernas e conseguem transformá-las em músicas que ouvíriamos, tipicamente, numa jukebox. Encontrei o vídeo abaixo por um mero acaso e foi paixão à primeira audição! Já ouvi quase todas as covers que eles fizeram e tenho bastantes no meu ipod. Para além dos brilhantes músicos que dão um toque mágico às canções sabem escolher os cantores na perfeição, assentando que nem uma luva ao projeto! São, sem dúvida nenhuma, a minha mais recente crush musical. 


Deixo-vos aqui o canal do youtube deste grupo para que possam deliciar-se!

segunda-feira, abril 24

: Um amor de quatro patas!



Não consegui evitar apaixonar-me. Pela respiração típica, pelas orelhas de morcego, pelos beijinhos intermináveis. Apaixonei-me até pela forma tonta como ele brinca. Muita gente nos diz que é só um cão. E é, nós sabemos que é. Mas tem uma personalidade tão engraçada e já tão forte que iremos tratá-lo como se fosse um membro da família. Porque também o é e esse laço torna-se inquebrável. Sempre será, aconteça o que acontecer. Dorme na sua cama perto de nós, no quarto. Come quando nós comemos. Damos passeios a três. Tiramos fotos, filmamos as palhaçadas, brincamos juntos. Tornámo-nos mais felizes desde que ele chegou. Tornámo-nos numa família maior, desde que o patudo veio para alegrar esta casa. Agora que o tenho por cá, não consigo perceber como estive tanto tempo sem um amigo de quatro patas por perto. Está connosco há quinze dias e eu já me apaixonei perdidamente. Ele roubou-me um pedaço do coração e este irá sempre pertencer-lhe. Porque, para nós, não é só um cão. É o nosso melhor amigo.

sábado, abril 22

: Na viagem que é a vida.


Sempre quisemos viver a vida como o coração mandava. Saíamos de casa e percorríamos a estrada, sem destino definido. Sem preocupações. Vivíamos o verão como se fosse a última vez que víssemos os lugares pelos quais passávamos. Olhávamos um para o outro, de sorriso no rosto, deixando que as escolhas repentinas fizessem o nosso futuro. Éramos o maior cliché de amor que já alguém tinha visto. Mas depois a realidade bateu-nos à porta. Deixámos de ser jovens. As responsabilidades fizeram com que os verões se tornassem mais curtos, menos saborosos. Queríamos mais, sempre mais. Mas esse mais fugia sempre. Nós acabámos por fugir um do outro, mesmo que o amor teimasse em grita que ficássemos juntos. Os caminhos afastaram-se e as viagens - que nos pareciam sem fim - terminaram. Agora que revejo fotos de tempos idos tenho saudades. Saudades de ti. Saudades de ser jovem. Saudades do tempo em que a minha única preocupação era que o sol se punha demasiado cedo, para todas as aventuras que queríamos viver. Crescemos e, algures no tempo, deixámos de ser vida em flor. Tornámo-nos árvores, de raízes presas ao chão. O que eu dava, meu amor, por mais um dia de juventude. Ao teu lado. 

#histórias de bolso
#off the records

quarta-feira, abril 19

: Home Sweet Home #3

Gosto de cores clean nas paredes para depois poder contrastar com uma decoração mais colorida. Mas gosto, em simultâneo, de ver divisões de um branco imaculado. Cá por casa não o fiz porque o David detesta ver uma divisão toda em branco. Daí termos arranjado um meio termo para decorarmos o nosso lar.

Gosto de apontamentos simples que façam a diferença, de pormenores que sejam a nossa cara e que façam alguém dizer esta casa está mesmo ao vosso estilo. Gosto de entrar em casa e ter um ambiente acolhedor para poder relaxar no fim de um dia de trabalho. Gosto, especialmente, de ter a casa arejada e ampla, para que possa usufruir de todo o seu espaço. Ficam aqui algumas imagens de divisões que eu não me importava nada que fossem minhas!!


segunda-feira, abril 17

: Cada macaco no seu galho!


Eu não sou seguidora de nenhuma religião. Mas também não critico quem se identifica com qualquer uma delas. Simplesmente não consigo acreditar num suposto deus ou numa outra qualquer entidade. Prefiro acreditar em mim e nas pessoas que escolhi para pertencerem à minha vida. Prefiro acreditar que somos nós que construimos o nosso caminho sem qualquer intervenção divina. 

O que eu não consigo suportar é quando o oposto acontece e alguém não respeita a minha forma de ver a vida. Que alguém me critique por eu não acreditar neste ou naquele deus. Que alguém me diga que assim serei "castigada", como já cheguei a ouvir. O que eu não compreendo são as pessoas que têm de impôr a sua religião à força; Que andam pelas ruas a importunar quem muitas vezes está com pressa ou pessoas que, como eu, não acreditam naquilo que elas querem dizer. Cada um tem direito à sua crença ou até a não ter crença nenhuma. Há que saber respeitar aquilo em que cada um acredita, sem entrar na vida privada das pessoas. Há que ter noção que não somos obrigados a gostar todos do mesmo. Há que saber conversar sem nos tornarmos inoportunos.

Tenho pessoas na minha família e amigos bastante católicos. Outros nem por isso. Respeito cada um deles, a sua ideologia, a sua forma de ver a vida. Tal como espero que me respeitem sempre que digo algo que "foge" às regras normais da sociedade. Já sou adulta, já vivi bastantes coisas, já sei aquilo que quero na minha vida. A religião para já não é, definitivamente, uma delas. 

sexta-feira, abril 14

: Somos mesmo donos de primeira viagem!

Imagens presentes no instagram.

Eu nunca tinha tido um cão até o Floki vir cá para casa. Relacionava-me com cães de familiares e de amigos mas nunca tinha tido a oportunidade de partilhar o dia a dia com um amigo de quatro patas. Tentei, ao máximo, não idealizar nada. E ainda bem! Esta primeira semana de aprendizagem tem sido exaustiva. Apesar de ele ser um bebé super bem educado e nada chato, as noites têem sido um terror. Por opção nossa - e por segurança do cachorro e da casa!! - enquanto não estamos em casa durante o dia e à noite ele fica num parque especial que comprámos para ele. Se durante o dia ele gane 2 minutos e depois se deita até chegarmos sem fazer mais barulho, à noite o caso muda de figura. Só numa das noites consegui dormir na minha cama. Todas as outras foram passadas no sofá (que felizmente é sofá cama e bastante confortável!) para depressa o mandar calar e lhe dizer para ir para a cama. E ele acaba por ir e dormir o resto da noite. Mas sempre comigo por perto. Se o podia pôr no quarto? Claro que sim. Mas não queríamos desistir já de tê-lo mais protegido para ele não se lembrar de pôr à boca algo que não deva. Talvez tenhamos que o levar para o quarto, para bem de todos, mas queremos acreditar que ele irá acabar por se habituar a estas rotinas. Já tentámos deixá-lo ganir um bocado para perceber que não o íamos tirar mas não queremos incomodar os vizinhos, visto que moramos num apartamento. São muitas as dúvidas e para nós, donos de primeira viagem, tem sido um caminho interessante. Vamos descobrindo aos poucos como lidar, como fazer. Vamos, os três juntos, crescendo.

Apesar de tudo amo cada vez mais este patudo que me enche de beijos assim que lhe abro o parque. Que nos olha com carinho e se aninha junto a nós para dormir. Que nos segue para todos os lados! É impossível chatear-me com ele!

quarta-feira, abril 12

: Lá se foi o cabelo!!

Já tive o cabelo pela cintura quando era pequena. Aos doze anos a minha mãe perguntou-me se eu estava disposta a cortar o cabelo pelos ombros. Agora que olho para trás percebo que ela devia era estar farta de tratar do meu cabelo todos os dias. E eu até que a compreendo! Hoje em dia quando o cabelo me começa a passar os ombros já me irrito com ele. Apesar de dar para fazer imensos penteados a paciência para tratar dele não é tanta. Já para não falar do calor que me provoca, visto que eu não gosto particularmente de andar de cabelo apanhado.

Talvez por isso desde há uns dois anos para cá volta na volta corto o cabelo acima dos ombros. O fresco no pescoço e a liberdade são coisas simples que me deixam muito feliz! É fácil de tratar e basta dar um jeitinho de manhã para ficar mesmo ao meu jeito. Ainda experimentei deixar crescer o cabelo um pouco durante o Inverno mas bastou chegar agora o calor para eu correr para a minha adorada cabeleireira para ela fazer a sua magia. Saí de lá logo outra!

Ora vejam a diferença:
O antes


O depois

Sim, eu sei, está praticamente igual. Mas para mim fez toda a diferença e comecei logo a sentir a frescura no pescoço. E olhem que nem foi das vezes que mais cortei! Este tornou-se o meu penteado de eleição não só para o verão mas para todo o ano!!

segunda-feira, abril 10

: Apresento-vos...

... o novo membro da família!!

King Floki de Canipalma a.k.a. Floki 

É um pequeno terrorista que adora mordiscar-nos os dedos e tem uma tara por atacadores ou qualquer coisa que mexa. Já dei com ele a puxar os meus ténis pelo corredor fora ou numa luta desenfreada com a esfregona. Adora dormir na manta que está na fotografia e se estiver colado a nós melhor ainda. Até agora tem-se portado bem, tendo em conta que só tem três meses, mas não deve ser a palavra que mais temos dito. Ainda só está connosco desde sábado mas já estamos completamente apaixonados por ele. Pelas expressões que faz, pela forma desengonçada como anda, pelo barulhos baixinhos que solta. É um bebé, o nosso bebé, e eu não podia estar mais feliz. Esperámos um ano até sentirmos que estávamos prontos para recebê-lo em casa e ainda bem que assim foi. Não podia ter vindo em melhor altura. Vai ser, sem dúvida nenhuma, a alegria da casa!!



Se quiserem seguir as aventuras do Floki podem fazê-lo pelo instagram que criámos para ele! É um cão tão moderno que até já anda nas redes sociais!!

domingo, abril 9

: Pulmões de amor.


Nunca pensei que poderia respirar amor. Que poderia sentir esta leveza na alma; no coração; no corpo. Os dias parecem correr ao ritmo da minha dança e até o sol conspira a meu favor. Sinto-me completa, feita de partes que nem imaginava que tinha. Aprecio todos os pormenores de uma primavera em flor, de um verão que tem pressa de chegar. Respiro natureza, sentimentos bons, felicidade. Não há espaço para nada negativo no meu coração: tranquei a porta à tristeza. Abro as cortinas de minha casa e um vento fresco brinca com os meus cabelos. A felicidade é tão simples. 

#off the records
#histórias de bolso

quinta-feira, abril 6

: Sem olhar para trás!


Nunca fui pessoa de desistir ao mínimo problema. Mesmo quando me ia abaixo procurava maneira de me reinventar. Encontrava maneira de dar a volta à minha vida. Novos desafios; novos caminhos; novas vontades. E estou numa dessas fases. Numa época em que tenho que pôr o passado para trás das costas e seguir em frente. Começa hoje um novo futuro. Os próximos dias serão de mudança, de novas aventuras. De muita felicidade. O futuro só pode ser bom. E mesmo que não seja tudo faremos para que assim se torne!

terça-feira, abril 4

: Hoje é um bom dia...


... para sorrir; para cantar no meio da rua; para dançar com alguém que gostemos do fundo do nosso coração; para comer aquela comida que nos sabe tão bem; para ler o livro que andamos a adiar; para ficar, simplesmente, sentado a observar a paisagem; para parar no caminho e cheirar uma flor; para fotografar pormenores importantes; para voltar a ouvir músicas antigas; para rever aquele filme que mexe connosco; para descobrir novos hobbies; para arriscar! Hoje é um bom dia para acreditar que tudo vai ficar bem. Façam deste dia o melhor dia de sempre!

domingo, abril 2

: Particularidades à la Cláudia #5


Todos os casais experimentam, pelo menos uma vez na vida, tomarem um banho a dois. Seja porque querem poupar tempo e água ou até mesmo porque é um momento íntimo que podem aproveitar. Claro está que eu e o David também já o experimentámos em alguns dias que nos queríamos despachar e precisávamos os dois de um duche rápido. E foi, sem dúvida alguma, hilariante. Eu adoro tomar banho com água bem quente. Já ele toma com água morna já a roçar o frio. E não, não há meio termo que nos salve!! Estão, portanto, a imaginar o que acontecia sempre que trocávamos de lugar, certo?! Ora ele se queimava, ora eu congelava. Chegámos rapidamente à conclusão que banhos a dois não era de todo para nós. 

Mais alguém por aí que sofra do mesmo mal? Ou o problema somos mesmo nós?!